sábado, 8 de março de 2014

Recomeçando...

E vou levando o mardo junto desta vez... finalmente... rs
Como não gostei muito da nutricionista com quem me consultei, vou seguir a Dieta dos Pontos que foi a que mais gostei até hoje... rs
Meus dados hoje:

Peso: 94,4kg
Altura: 1,57m
TMB: 1650,28
dia-a-dia movimentado sem atividade física programada ou dia-a-dia parado • atividade física programada 3 x por semana, 30 min por dia
Energia diária: 2145,36
Pontos: 596
IMC: 38,3
Limite de Pontos: 346

O marido vai seguir a dieta recomendada pela nutricionista dele, pois há 8 anos ele fez a cirurgia bariátrica e tem necessidades específicas.
Hoje ele está com 113kg.

Baixamos dois aplicativos gratuitos em nossos celulares: o STRAVA, que registra nossas caminhadas e pedaladas, e o Weight Meter, para podermos acompanhar nossa evolução e nos animarmos com os gráficos apresentados e etc.

E vamos ver onde chegamos...

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Diabetes Tipo 2 - Cura?

Após a leitura destes dois artigos, acho imprescindível ler estes comentários, pelo menos:
- http://www.fat-new-world.com/2011/06/dieta-extrema-reverte-diabetes-sera.html
- http://comentarios.folha.com.br/comentarios?comment=204106&site=folhaonline&skin=folhaonline

**********************************************************************************
Diabetes a cura mais próxima!Com as novas experiências em cirurgia, não apenas para obesos mórbidos, mas para pessoas com sobrepeso (que representam cerca de 1/3 dos pacientes com diabetes tipo 2), a doença está sendo domada. E as intervenções podem controlar e até ajudar a reverter este mal que acomete 180 milhões de pessoas.
POR FABIANA GONÇALVES
<>
 
<>
 
<>
 
A primeira vez que se observou que uma operação antiobesidade poderia reverter o diabetes tipo 2 foi em 1985, ou seja, há mais de duas décadas. De lá para cá, inúmeros estudos foram realizados. Com a evolução, tanto das técnicas como (infelizmente) do número de pessoas no mundo com a doença, os especialistas começaram a cuidar do mal por meio da cirurgia, focando só para pessoas com IMC acima de 40. "A diminuição do peso auxiliava o paciente a controlar a taxa de glicose no sangue logo nos primeiros dias após a intervenção. A grande vantagem é que poucos meses depois, cerca de 60% deles já não precisavam mais utilizar insulina ou outros remédios. Em menos de um ano o procedimento conseguia reverter ou controlar entre 80% e 90% do diabetes, eliminando o consumo de todos os medicamentos para o problema", afirma José Carlos Pareja, chefe do Serviço de Cirurgia de Obesidade da Unicamp, Universidade de Campinas, (SP).
Mais do que uma esperança
Segundo o especialista, num primeiro momento, os médicos imaginavam que isso ocorria em função do emagrecimento, mas eles logo perceberam que a taxa de glicemia caía antes mesmo que houvesse uma grande perda de peso. Em alguns casos, já no pós-operatório; assim, decidiram investir em novas pesquisas. "Além de reduzir em 95% o tamanho do estômago dos pacientes com IMC acima de 40, esse tipo de cirurgia faz um desvio para o alimento, evitando que ele passe pela primeira parte do intestino. Descobriu-se, a partir daí, que, por causa dessa mudança, acontece o aumento de uma substância chamada GLP-1, que estimula o pâncreas a produzir mais insulina, até então produzida insuficientemente", esclarece o endocrinologista Bruno Geloneze, de Campinas (SP), pesquisador nas áreas de Diabetes e Obesidade e Presidente do Congresso de Diabetes 2007.
Para que você entenda melhor, é bom lembrar que a glicemia representa a quantidade de açúcar que circula no sangue. O limite normal vai até 110 mg/dl. Entre esta taxa e 126 mg/dl considera-se um estado pré-diabético. Acima disso, a medida indica a presença da doença. Nestes casos, a insulina fabricada pelo corpo não é suficiente para promover o aproveitamento da glicose (o combustível humano) pelas células: isso caracteriza o diabetes.
A princípio, pode soar estranho a utilização da cirurgia no tratamento da enfermidade. Mas ela é uma nova estratégia para pacientes menos gordos. A indicação deve ser feita por um endocrinologista e segue uma lógica científica. "Durante a operação, abrevia-se o caminho entre o estômago e o intestino. A meta é evitar que o alimento passe pelo duodeno e pelo jejuno (porção inicial do intestino delgado), jogando-o diretamente na parte final do órgão, o íleo. Ali ocorre a produção do hormônio GLP-1, o mais importante componente do grupo das incretinas, substâncias fabricadas logo após a alimentação para estimular a produção de insulina", explica o cirurgião José Carlos Pareja.
Apesar de o GLP-1 ser antigo conhecido da medicina, descobertas recentes sobre a sua ação, tornaram-no um dos principais alvos da indústria farmacêutica. "Ele aumenta a quantidade e incrementa a eficácia da insulina, retardando a passagem da comida pelo íleo. Nos diabéticos tipo 2, os níveis dessa substância são muito baixos", complementa o profissional.
Controle sem remédios
A cirurgia, como observaram os médicos, é uma das maneiras de aumentar a produção do GLP-1 e, conseqüentemente, viabilizar o controle do diabetes. Por isso, já era um recurso usado para enfrentar a doença em obesos mórbidos. "Para os que têm apenas sobrepeso (IMC menor que 30) a técnica ainda é experimental e adotada só quando o mal não regride com tratamentos convencionais", afirma Ricardo Cohen, cirurgião de Obesidade e do Aparelho Digestivo do Hospital São Camilo (SP).
Recentemente, por exemplo, uma equipe de pesquisadores da Unicamp, da qual o cirurgião José Carlos Pareja faz parte, deu início a um estudo com 12 pacientes com sobrepeso e taxas de glicemia elevadas. "Os resultados são animadores. Duas pessoas deixaram de tomar insulina, embora ainda usem outros remédios para o diabetes", conta o cirurgião. Os dados conclusivos devem ser divulgados ainda no primeiro semestre deste ano. 
cirurgia sofre modificações
Embora a técnica de redução de estômago para o controle de diabetes tipo 2 em pacientes com IMC menor que 30 seja inédito (não reduz o tamanho do estômago), ela ainda está em fase de estudos pela Unicamp (SP)
Para ser aplicado em pessoas menos gordas, o método sofreu modificações. Em vez de reduzir o tamanho do estômago, como ocorre no caso dos obesos mórbidos, os médicos encurtam o trajeto entre o órgão e o intestino. Por isso, o procedimento reduz muito pouco o apetite. Em geral, há um emagrecimento de, no máximo, 5%. "Esta perda de peso pode ser provocada pelo próprio pós-operatório, pois de um modo geral, nestes momentos come-se bem menos. A cirurgia aumenta a produção das incretinas no organismo, o que diminui a fome, mas a alteração é pequena", alerta o endocrinologista Bruno Geloneze.
"Quando o diabetes responde mal ao tratamento clássico (remédios e insulina), com o tempo, a enfermidade descontrolada pode levar a sérias complicações. O novo método cirúrgico melhora ou, em alguns casos pesquisados, até reverte o problema, o que faz com que o paciente leve uma vida normal", finaliza José Carlos Pareja.
REPRODUÇÃO DA ILUSTRAÇÃO CEDIDA PELO CIRURGIÃO DE OBESIDADE JOSÉ CARLOS PAREJA
Fonte: http://dietaja.uol.com.br/saude-fitness/132/artigo40261-1.asp
*************************************************************************************
Dieta radical pode reverter diabetes tipo 2, aponta estudo24 de junho de 2011 08h38 atualizado às 09h06

Um estudo publicado em uma revista científica na Grã-Bretanha sustenta que uma dieta radical de 600 calorias por dia durante oito semanas pode reverter diabetes tipo 2 em pessoas recém-diagnosticadas com a doença. 
O artigo dos pesquisadores da universidade de Newcastle, publicado na revista científica "Diabetologia", indicou que a dieta reduziu os níveis de gordura no fígado e no pâncreas de 11 pacientes estudados, ajudando os níveis de insulina a voltar ao normal. Todos os 11 haviam sido diagnosticados com diabetes tipo 2 até quatro anos antes. Três meses após o tratamento, sete estavam livres da doença. O nível de produção de insulina se manteve estável mesmo após a volta à alimentação normal.
Os pesquisadores disseram que é preciso continuar os estudos para verificar se este efeito é permanente.
O diretor do Centro de Ressonância Magnética da Universidade de Newcastle, Roy Taylor, disse que não recomenda a dieta e que o experimento teve como única finalidade observar efeitos científicos.
"Esta dieta foi usada apenas para testar a hipótese de que, ao perder peso substancialmente, as pessoas ''perdem'' também a diabetes", disse o acadêmico. "Embora este estudo seja com pessoas diagnosticadas com diabetes apenas nos últimos quatro anos, há potencial para as pessoas com diabetes de mais longo prazo tentarem reverter as coisas."
Redução de peso
 A diabetes tipo 2 ocorre quando a produção de insulina, responsável por quebrar as moléculas de açúcar no sangue, é insuficiente, ou quando a insulina produzida não funciona corretamente. Dá-se então um acúmulo de açúcar no corpo.
A dieta fez com que os participantes da pesquisa cortassem radicalmente a ingestão de calorias por dois meses, consumindo apenas alimentos dietéticos líquidos e legumes sem amido. Depois de uma semana fazendo o experimento, os pesquisadores observaram que os níveis de açúcar no sangue dos pacientes antes do café da manhã já haviam voltado ao normal.
Imagens de ressonância magnética mostraram que os níveis de gordura nos pâncreas dos estudados haviam caído de cerca de 8% - um nível elevado - para em torno de 6%.
Três meses após o fim da dieta, quando os participantes haviam voltado a se alimentar normalmente com ajuda de nutricionistas e dicas de alimentação saudável, os médicos perceberam que a maioria já não sofria da condição.
A pesquisadora Ee Lin Lim, que fez parte da equipe, disse que nem todos se curaram da doença porque "tudo depende de quanto os indivíduos são suscetíveis" a ela."Precisamos descobrir por que algumas pessoas são mais suscetíveis que outras, e então trabalhar com essas pessoas. Nesse estudo, não chegamos a essas razões", disse.
Fonte: http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5203775-EI8147,00-Dieta+radical+pode+reverter+diabetes+tipo+aponta+estudo.html 

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

13 alimentos que controlam o colesterol alto

Fonte: http://www.minhavida.com.br/conteudo/11722-13-alimentos-que-controlam-o-colesterol-alto.htm?ordem=13#gal

Esta turma equilibra as taxas e mantém longe as doenças do coração
Publicado em 8/8/2010 por Minha Vida

A dupla hábitos alimentares saudáveis e prática regular de exercícios físicos é capaz de manter as taxas de colesterol bom (HDL) e ruim (LDL) em perfeito equilíbrio, afastando de perto o risco de infarto e derrame cerebral, além de outras doenças como o Mal de Alzheimer. Quem sofre com o problema sabe bem que a solução para este mal não está nas pílulas. Nem que você siga à risca os horários e as doses dos remédios, sem controlar a alimentação, as taxas de colesterol jamais entram nos eixos. Mas o contrário até pode acontecer: há quem aprenda a montar pratos saudáveis e, desta forma, passe longe da farmácia. A seguir, confira a lista de alimentos, para encampar uma batalha contra o colesterol alto e sair vencedor (sem, é claro, abrir mão de comer bem). 

Peixes: Eles são excelente fonte de ácido graxo ômega 3, um tipo de gordura boa, do tipo insaturada, encontrada nos peixes de água fria, como salmão, atum e truta. "A gordura insaturada ajuda na redução dos níveis de triglicerídeos e colesterol total do sangue; reduz o risco de formação de coágulos, além de tornar o sangue mais fluido; sendo, portanto, importante aliada na prevenção das doenças cardiovasculares", explica nutricionista da Unifesp Ana Maria Figueiredo Ramos.

Aveia: Além das fibras insolúveis, a aveia contém uma fibra solúvel chamada betaglucana, que exerce efeitos benéficos ao nosso organismo. Ela retarda o esvaziamento gástrico, promovendo maior saciedade, melhora a circulação, controla a glicemia (açúcar no sangue) e inibe a absorção de gordura (colesterol). "A aveia diminui as concentrações de colesterol total, lipídios totais e triglicerídios de forma significativa e aumenta a fração do bom colesterol (HDL)", explica nutricionista da Unifesp Ana Maria Figueiredo Ramos.

Oleaginosas: Nozes e castanhas apresentam grande quantidade de antioxidantes, responsáveis por combater o envelhecimento celular e prevenir doenças coronárias, além de diversos tipos de câncer. A arginina, também presente em quantidades interessantes nas oleaginosas, atua como importante vasodilatador, contribuindo para a redução do risco de desenvolvimento de doenças do coração.

Chocolate amargo: O leite e a manteiga de cacau acrescentam doses de gordura saturada na guloseima que provoca arrepios de desejo, principalmente nas mulheres. Mas o chocolate amargo pode fazer parte da sua dieta, porque é rico em flavonóides (substâncias que diminuem o LDL). Diariamente, inclua 30g do doce como sobremesa. Só não vale compensar: a porção de hoje não fica acumulada para amanhã, ou seu organismo não dá conta de aproveitar os benefícios.

Azeite: É fonte de ácido oléico, que regula as taxas de colesterol e protege contra doenças cardíacas. Faz bem ao aparelho cardiocirculatório e para controlar o diabetes do Tipo 2, reduzindo a taxa glicêmica. É também uma grande fonte de antioxidantes, como a vitamina E.

Alcachofra: Suas fibras são resistentes à ação de enzimas e por isso apresentam muitas vantagens, entre as quais: diminuição dos níveis de colesterol e triglicérides sanguíneos ; redução do risco de obesidade e diabetes, fatores de risco para a saúde do coração. Uma porção de 100 g possui apenas 50 calorias. "Como ela ajuda na quebra de gorduras e no controle do colesterol, é bastante recomendada para prevenir doenças cardíacas", explica a nutricionista nutricionista da Unifesp Ana Maria Figueiredo Ramos.

Laranja: Ela não é boa só para gripes e resfriados. Um estudo realizado pela Universidade de Viçosa, em Minas Gerais, e publicado na revista American Heart Association, concluiu que os flavonoides, substâncias antioxidantes presentes na fruta, diminuem os níveis de LDL (colesterol ruim) no organismo, pois limitam a absorção do colesterol no intestino.

Vinho: A ingestão moderada da bebida (uma a duas doses por dia) promove elevação de aproximadamente 12% nos níveis de HDL, colesterol bom, semelhante à encontrada com a prática de exercícios. "A maioria dos efeitos protetores do vinho tinto são atribuídos aos flavanoides, que possuem propriedades antioxidantes, vasodilatadoras e anti-coagulante plaquetária", diz Ana Maria.

Linhaça: a semente é um dos alimentos mais ricos em ômega 3, por isso, é responsável por prevenir doenças cardiovasculares, e evitar coágulos ao diminuir as taxas de colesterol total e de LDL colesterol (ruim) e aumentar as de HDL colesterol (bom). Os benefícios da linhaça se potencializam quando a semente é moída ou triturada, já que sua casca é resistente à ação do suco gástrico e passa sem sofrer digestão no trato gastrointestinal.

Canela: pesquisadores da Kansas State University, nos Estados Unidos, constataram que consumir meia colher de sopa por dia desta especiaria tem papel importante no combate ao colesterol ruim (LDL). Os pesquisadores acreditam que tal redução é resultado da ação dos antioxidantes presentes na canela.

Soja: Além de ajudar a controlar problemas hormonais para as mulheres que estão na menopausa, a soja é uma excelente opção para quem quer proteger o coração: "ela ajuda a diminuir o colesterol ruim (LDL), aumenta o colesterol bom (HDL) e fortalece o organismo de infecções", explica nutricionista da Unifesp Ana Maria Figueiredo Ramos.
Açaí: Apesar do alto teor de gordura do açaí, trata-se em grande parte de gorduras monoinsaturadas (60%) e poli-insaturadas (13%). Estas gorduras são benéficas e auxiliam na redução do colesterol ruim (LDL) e melhoram o HDL, contribuindo na prevenção de doenças cardiovasculares, como o infarto. Cada 100g do fruto tem 262 calorias. "O açaí tem gorduras que fazem bem para a saúde e por isso deve ser incluído no cardápio, porém, o ideal é consumi-lo sem adição de complementos muito calóricos, isso ajuda a manter a dieta", sugere Robert Stella. Gorduras: 52%, Fibras: 25%, Proteínas: 10%.

Chá: principalmente o chá verde, pois os flavonoides, encontrados nesse tipo de chá, funcionam como antioxidantes e ajudam a prevenir a inflamação dos tecidos. Estas substâncias também podem proteger contra a formação de coágulos, que são as principais causas de ataques do coração.

Meus Números

Trouxe meus números para ficarem registrados aqui, um histórico da minha saúde...
Na verdade, foi porque me assustei com uns resultados de exames que peguei esta semana. O que me assustou realmente foi a inscrição "Intolerância à Glicose" nos meus papéis. Entrei em pânico porque adoro doces e pães... Será o meu fim? Como tento ser saudável e politicamente correta, vou ouvir meu médico endocrinologista, afinal foi ele quem pediu os exames.


segunda-feira, 4 de julho de 2011

IMC - RCQ - IAC



Os meus números:

* IMC = 38,87 (ideal: entre 20 e 25)
* RCQ = 0,897 (ideal: <0,85)
* IAC = 25,145 (ideal: entre 20 e 29%)

Desafio nº1: Ainda tentando, mas com esse friozão que anda fazendo aqui em São Paulo, tá muuuuito difícil não comer coisinhas quentinhas e calóricas, sair para caminhar ou pedalar de manhã ou em qualquer outra hora do dia, etc...

domingo, 26 de junho de 2011

Desafio - Perder 5% do meu paso atual em 1 mês

Esta foi a última postagem do meu blog antigo.
Se hoje meu peso está em 95kg, então devo perder 4,75kg.
Recalculei meus pontos:
- TMB = 1660,72
- Energia diária: = 2158.94 (600 pontos)
- Limite de pontos diários = 350 pontos
- IMC = 39,3
Outros números:
- PA = 13x8
- Glicemia = 87 mg/dL
- Triglicerídeos = 88 mg/dL
- HDL = 69 mg/dL
- LDL = 145 mg/dL (é aqui que tenho que me mexer!!! Literalmente!!!) Anuncio a volta das caminhadas: pelo menos 3 vezes por semana, por meia hora.
E este é o desafio...
- O quê? Reduzir meu peso atual em 5%;
- Como? Reeducação alimentar e atividade física;
- Dieta: Sem carne vermelha, integrais e algum docinho de vez em quando;
- Atividade física: Caminha de 30 minutos, 3 vezes/semana.
- Prazo: 30 dias
- Peso atual: 95,6 kg;
- Peso almejado: 90 kg.

Veja o quadro dos motivos para se perder 5% do seu peso atual.

Fonte: Revista Saúde, Ed. Abril - Junho/2011

Obs.: No post anterior falei da Dieta Coletiva. Como não obtive resposta, então vamos eu comigo mesma de novo.... rs

sábado, 25 de junho de 2011

Esta aprendi no log Projeto Vegan que se propunha 365 receitas vegetarianas para 365 dias. Acredito que ainda não chegou ao fim e que o Thaigo, seu dono, ainda chegue lá! Tomara!!!
E como, primeiro, comemos com os olhos, este foto muito me apeteceu... Conferi os ingrediente com a despensa de casa e... mãos à obra!!! Nem deu para tirar uma foto do que foi feito por mim... Muito bom!!! Fiz exatamente como manda a receita - só não usei palmito.

Ingredientes

1/2 xícara de soja (pts pequena)
1 batata média
1 palmito picado
1/2 cebola média
1 tomate picado (sem sementes)
3 colheres (chá) de shoyu
1/4 de limão
2 dentes de alho amassados
1/2 colher (chá) de curry
Sal a gosto


Modo de Preparo

Hidrate a soja em água quente, exprema e reserve. Corte a batata em cubos e leve para cozinhar, enquanto isto tempere a soja com o shoyu, o limão, alho e sal, exprema e reserve. Corte a cebola e doure no azeite, adicione a soja, tomate picado e o shoyu, cozinhe até o tomate ficar mole, adicione as batatas, o curry e o palmito, cozinhe por mais alguns instantes, adicione sal e desligue o fogo.

(observação do próprio Thiago!!!) Postado ao som de The Smiths - How Soon Is Now?

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Restaurante "Broto de Primavera"

Quando não tenho tempo para preparar a minha marmitinha para o almoço no trabalho, gosto de comer aqui!

Vale a visita!!! (ao site também... rs)

O Almoço de Hoje

Bom, depois da vergonha de ontem à noite, o almoço de hoje vai bonitinho de novo. Arroz integral com sal light e gergelim preto, moyashi (broto de feijão) com shoyu e açúcar e omelete com nirah (adoro omelete com nirah!!!! Receitinha da Tia Irene... E sabor de infância,,, rs). E o tofu com shoyu e cebolinha (adoro, adoro, adoro!!!). O tofu está na água e deve ficar assim até a hora de consumi-lo.

Agora de amnhã, no café, chá e torradinha com margarina (creme vegetal).




Para o jantar (pretendo não cometer deslizes hoje), quero esse mesmo arroz com gergelim e moyashi... Vamos ver se o sonho se realiza... rs
Como é difícil ser saudável! Além de caro!!! Ontem, passei no bairro da Liberdade, aqui em São Paulo, e comprei umas coisinhas básicas, básicas mesmo, como um maço de cebolinha, um tofu, um maço de nirah, um pacote de sembei com shogah (gengibre), meio litro de shoyu light, meio quilo de gergelim preto, 250g de PTS grossa, um pacotinho pequeno de moyashi e um potinho plástico hermético para guardar o gergelim om sal. Essa comprinha saiu por quase R$50,00!!!! Fiquei horrorizada!!! E olha que o Marukai é dos mercadinhos mais baratos... Realmente é muito caro ser saudável!!!

quarta-feira, 4 de maio de 2011

O Almoço de Hoje

Esse será o meu almoço de hoje. Levantei, com o maior frio e a preguiça maior ainda!!!, e fui para cozinha.
Saiu o arroz integral com água e sal light e esse cozidinho de vagem e cenoura em tirinhas com shoyu e açúcar (receitinha da mamãe - sinceramente, acho que já vem da minha 'batian' (vó em japonês)) - adoro!!!


Gelatina de abacaxi de sobremesa (sem açúcar, mas com stévia).
O café da manhã... bem, ficou para tomar já no trabalho, pois pela manhã corri com a marmitinha... rs
Mas levei um iogurte de frutas com 3 bolachinhas de maizena e uma maçã.

O jantar... Ah, o jantar... Falei para minha amiga Margareth hoje: "Consigo ser dietéticamente correta até chegar em casa e estar na companhia do maridinho... Depois desse encontro, a coisa fica preta!!!". Então, no jantar comemos pão com salsicha e batata palha, Fanta laranja e bis de limão (a caixinha toda)!!!
Que vergonha...

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Não é uma escolha fácil

Parece simples, mas ser saudável por opção é tarefa árdua! Tem que ser perseverante nessa missão que vai de agora até o último suspiro.
Devo dizer, também, que resolvi fazer este blog para ajudar a mim mesma na batalha contra a balança, luta que se estende, que me lembre, desde os meus 15 aninhos quando minha mãe me levou a um endócrino e saimos de lá com uma fórmula mágica! Cheguei em casa com as bolinhas achando que estaria magrinha no dia seguinte... rs... À noite, meu pai viu aquele frasco e foi ver o que era. Jogou tudo fora e disse que emagrecer não era difícil, tratava-se simplesmente de uma equação matemática: gastar mais do que se come. Tenho que concordar, mas tirando o 'simplesmente'!!!
E dos meus 15 aos meus 35, vi que dava para fazer isso saudavelmente! Em 20 anos a gente lê, ouve e aprende muito!!! Cada um escolhe o que quer ler a prender e 'viver saudável' sempre me interessou - não apenas 'comer saudável', mas fazer saudável, pensar saudável - e é uma opção que exige muita determinação num universo de 'prazeres' que te oferecem desde a primeira infância - mais uma vez, não falo apenas de comida, mas cigarros, violência, desonestidade, etc... Ou não te ofereceram isso hoje?
Por isso tudo é que disse que escolher ser saudável tem que vir só de você e ser perseverante para sobreviver...